Como já havia sendo especulado por vários sites entendedores de séries, Life Sentence estava com a corda no pescoço desde sua estreia no início de março no canal americano CW. A série não alcançava nem um milhão de telespectadores durante suas exibições nas quartas feiras. A emissora então resolveu dar um hiato de duas semanas e retornar a transmissão nas sextas feiras para tentar salvar a série, novamente sem sucesso.

Hoje, Lucy Hale divulgou uma carta aberta em suas redes sociais onde comunicava o cancelamento, confira abaixo:


“Acabei de receber a triste notícia que Life Sentence não voltará para uma segunda temporada. Eu estava conectada emocionalmente com essa história e com todos os envolvidos então ainda estou meio chocada no momento, mas me sinto afortunada que pudemos contar essa linda história. Às vezes as coisas não funcionam com o público e as séries simplesmente não funcionam, mas estou muito orgulhosa de onde chegamos e pela experiência que tivemos. Life Sentence foi uma série que muitos de nós precisávamos e eu sou muito grata a todos que deram uma chance a série. Em algum lugar no universo, os Abbotts vão continuar suas vidas disfuncionais e Stella vai continuar sendo uma menina sonhadora. Esse capítulo está sendo concluído antes do que eu gostaria, mas estou tirando isso como uma lição de vida. As coisas nem sempre funcionam a nosso favor e depende de nós o que faremos com isso. Foi um ano maravilhoso para mim e eu gostaria de agradecer o apoio que venho recebendo! Amor, amor, amor à todos vocês. Criamos algo importante e puro e nenhum cancelamento vai tirar isso de nós. “

Sentimos muito pela Lucy e por todos que trabalharam tão duro para que Life Sentence acontecesse. Agora nos resta saber o que Lucy fará a seguir. Fiquem ligados em nossas redes sociais. 🙂

A primeira temporada de Life Sentence conta com 13 episódios, exibidos toda sexta feira, às 22h (horário de Brasília), no canal americano CW.

Depois de anos sem notícias, Dude finalmente será lançado. A Netflix comprou os direitos do filme, que estará disponível para streaming no dia 20 de abril. Confira o trailer legendado:

 

Lucy concedeu uma entrevista ao site Kidzworld durante a divulgação de seu novo filme, Truth Or Dare, para conversar sobre o filme, Life Sentence e mais. Leia traduzido abaixo:

Lucy Hale, usando um vestido roxo, sentou com jornalistas em LA para falar sobre seu nome filme de terror, Truth Or Dare, baseado no famoso jogo. A loira interpreta uma jovem viajando com os amigos para o México quando o jogo se transforma em um desafio de vida ou morte. Alguém… Ou algo, pune severamente aqueles que mentem ou se recusam a fazer os desafios.

Lucy admite que ela é uma grande fã de filmes de terror e está feliz de usar elementos da sua antiga série PLL e expandí-los para as telonas em seu primeiro filme como protagonista pro cinema. Ela também seguiu em frente com sua série na CW, Life Sentence, onde ela interpreta Stlla Abbott, uma jovem que é curada do câncer terminal e prcisa aprender a viver com as escolhas que fez quando decidiu viver como se estivesse morrendo.

Leia o que Lucy tem a dizer sobre seu novo filme, nova série e sua família no Tennessee.

Pergunta: Esse é um filme muito assustador. Acho que é seu primeiro filme de terror certo?
Lucy: É. PLL definitivamente me preparou para isso porque tinham partes na série que eram parecidas com um filme de terror mas, sim, não foi o primeiro filme de terror que fiz mas meu primeiro como protagonista. Foi muito divertido de gravar, com um contexto bizarro e eu gosto de fazer coisas estranhas e bizarras, então eu sabia, depois de ler, que era algo que eu queria fazer parte.

P: E vai ser lançado na sexta feira 13 (nos EUA)!
Lucy: (Risos) Sim. O dia perfeito.

P: Então, você tem alguma superstição?
Lucy: Não muitas. Mas, quando mercúrio está invertido, você tem que ter cuidado com várias coisas. Eu entendo um pouco de astrologia mas eu não evito gatos pretos ou algo assim. Eu não sou tão supersticiosa.

P: Você já era familiarizada com o jogo de verdade ou desafio? Você já jogou?
Lucy: Oh sim. Acho que verdade ou desafio é um desses jogos que você ouve o nome e imediatamente é levado ao ensino fundamental quando você jogava com os amigos. Acho que isso é o legal de tudo. É muito nostálgico e todos provavelmente já jogaram em algum momento da vida. Eu era uma criança muito envergonhada e eu não acho que eu joguei muito. Obviamente, fizemos desse um jogo mortal de verdade ou desafio. Mas o que é legal é que você provavelmente entra no filme lembrando de quando você jogava quando era mais jovem.

P: Sua personagem em Truth Or Dare tem medo durante o filme. É emocionante e ela está passando por essas coisas com seus amigos. Como foi manter esse nível de energia e o que o elenco fez para manter isso?
Lucy: Foi um desafio. As apostas são altas todo o tempo então estávamos constantemente nos lembrando do cenário e qual era a aposta. Mas porque era uma gravação curta, e tínhamos que nos mover rápido, não teve tempo para cena por cena. Então, isso nos ajudou porque estávamos correndo para ter certeza que tínhamos tudo e acho que isso só aumentou a energia no set para todos nós.

P: Você é uma fã de filmes de terror?
Lucy: Eu sou. Desde que eu lembro eu sou uma fã de filmes de terror, até quando eu era bem pequena e provavelmente nem deveria estar assistindo. Mas eu amo a Blumhouse. Eu amo os riscos que eles correm. Eu amo que eles fazem filmes que ninguém está fazendo e vão atrás. Obviamente, eles tão pessoas adoráveis e me deram um emprego então eu sou muito grata. Mas sim, o primeiro Atividade Paranormal, é um dos meus filmes favoritos.

P: Você gravou tudo no México?
Lucy: Fizemos uma viagem ao México para nos conhecermos, antes de começar a gravar. Tem uma sequência de todos nós no telefone no filme. Aquilo fomos nós durante a viagem. Mas eu não acho que sabíamos naquela época que essas gravações seriam usadas. Acho que foi um bom toque. Fez parecer que somos amigos mesmo. O filme quase começa como um documentário, o que eu acho que é legal. Te leva pra dentro do filme. Mas o resto foi gravado em LA parecendo que era o México.

P: Você conhecia algum dos seus colegas de elenco ou vocês se tornaram amigos enquanto trabalhavam juntos?
Lucy: Eu conhecia o Tyler Posey através de amigos e de vista e eu conhecia o Sam Lerner que faz o Ronnie. Eu adoro o Sam demais. Eu conheço ele há um tempo mas acho que todos os outros foi o primeiro contato. Nós nos demos bem super rápido e a química estava lá desde o começo o que obviamente deixa mais fácil filmar com pessoas que você gosta de estar rodeado.

P: Teve algo particularmente complicado para você nesse filme? Que cena fica na sua cabeça depois de filmar?
Lucy: Bom, eu não me identifico com nada disso, da história. Nada disso aconteceu comigo então você tem que criar as histórias na sua cabeça. É uma lembrança constante de que ‘Você vai morrer se não fizer isso’, então foi isso. Mas tiveram cenas que exigiram muito fisicamente, como a cena da cobertura. Levou quatro dias e tiveram muitas gravações com drone e nós correndo em volta da casa. Essa foi provavelmente a cena mais complicada que fizemos.

P: Você tem uma série nova, Life Sentence. É diferente, fazer uma nova personagem depois de todo o tempo em PLL?
Lucy: É sim. Eu sabia, que depois de PLL eu queria fazer algo realmente diferente porque eu vivi nesse mundo por oito anos e eu sabia que queria mudar um pouco. Mas o que me levou a essa série foi essa linda história de uma menina que ganha uma segunda chance na vida e tem que descobrir quem ela é e tomar conta da família. Se torna uma história de amadurecimento para todos porque quando alguém fica doente, obviamente afeta todos ao redor, quando alguém é curado, muda tudo novamente. Eu pensei que era muito divertido e doce. É diferente e assustador ter essa nova série e dar ela ao mundo sem saber o que vai acontecer depois. Mas vem sendo recompensador e eu estou feliz de ter decidido ir nesse caminho.

P: Você é originalmente do Tennessee. Você volta para casa?
Lucy: Todo o tempo. Eu estava lá fim de semana passado. Eu tento ir todo o mês. É ótimo. Eu sou muito próxima da minha família. É ótimo falar tipo ‘Oh. É assim que as pessoas vivem. Isso é legal’ e eu tenho duas sobrinhas que eu sou muito próxima.

P: Você já terminou de gravar Life Sentence?
Lucy: Terminamos a primeira temporada e estamos esperando para saber sobre a segunda temporada, então é um jogo de espera divertido, não saber o que vai ser da sua vida no próximo ano. Acho que vamos saber o que acontece em maio.

P: E você tem um filme na Netflix?
Lucy: Sim. Eu tenho um filme na Netflix chamado Dude, que vai ser lançado dia 20 de abril, que eu gravei há dois anos atrás e é um filme bem específico então levou um tempo para achar uma casa mas Netflix realmente gostou e vai lançar.

P: Você atua a maior parte da sua vida e você começou bem jovem…
Lucy: Sim, no American Juniors de 2003. Eu tinha 13 anos mas venho trabalhando consistentemente desde que eu tinha 15 ou 16;

P: Você tem um mapa do que você quer fazer e quando fazer ou só vai na onda?
Lucy: Qual é aquele ditado ‘A vida acontece enquanto você faz planos?’ Não. Eu não tenho tudo mapeado. Eu gosto de correr riscos e isso é como uma escada. Eu trabalhei duro e conheci mais pessoas e mais portas se abriram. É por isso que amo meu trabalho. Você nunca sabe o que vai fazer no dia seguinte e isso é excitante para mim. Eu vou ver o que acontece de agora em diante.

P: O que você quer que as pessoas tirem desse filme?
Lucy: Esse filme é um momento bom, uma aventura para assistir. Tem momentos que são muito divertidos e momentos que são sinistros. Apenas vá, se divirta e se perca nele. Acho que é um bom filme para entrar dentro. Espero que goste.

Fonte: Kidzworld

Lucy concedeu uma entrevista ao Washington Square News onde conta mais detalhes de sua personagem, Olivia, em Truth Or Dare. Confira traduzido abaixo:

Imagina suas férias darem o máximo possível de coisas erradas. A imagem mental pode dar uma dica do que esperar com o último filme da Blumhouse, Truth Or Dare. Depois de um sinistro jogo de verdade ou desafio em uma igreja abandonada com um estranho deixa um grupo de formandos com um demônio em suas colas. Amizades, relacionamentos e segrefos são testados enquanto os amigos lutam por suas vidas.

Os atores Lucy Hale e Tyler Posey conversaram com a WSN sobre fazer esse filme e o que os diferencia dos outros do gênero.

Hale mencionou que sua personagem em PLL e Truth Or Dare compartilham de várias qualidades, são amigas leais e bravas aliadas. Essas características são importantes quando o triângulo amoroso entre Olivia, Markie e Lucas começa.

“Ela tem mais medo de perder Markie como amiga,” Hale conta ao WSN. “Acho que essa é a razão pela qual ela nunca tentou nada com o Lucas… Ela coloca todos acima dela mesma. Mas eu acho que tem uma parte dela que está animada que o jogo expõe esse segredo e a desafia a ir atrás do Lucas porque se não fosse assim, nunca ia acontecer.”

Terror pode não ser o gênero mais intuitivo para improvisação no set, mas o balanço de humor e terror em Truth Or Dare deixaram os atores colocar seus próprios movimentos na história.

Hale compartilhou mais detalhes da sua personagem enquanto conta o que a levou a esse script. O trauma psicológico de Olivia é seu maior medo no jogo e ela é colocada a completar um desafio com consequências fatais. Essa escolha de sutileza no filme é o que Hale achou mais atraente, e Posey concorda.

“Eu gosto quando os filmes mexem com a sua cabeça, é mais sinistro assim,” Posey diz.

Quando perguntados quais tipos de filmes eles gostariam de fazer no futuro, os atores deram detalhes de seus processos profissionais.

“Para mim não interessa se é TV ou filme ou o gênero que for,” Hale diz. “Eu só quero tentar coisas novas e coisas que me parecem desafiadoras e o que eu amo sobre Truth Or Dare é que tem uma protagonista feminina forte e precisamos mais disso. Eu estava muito animada de poder interpretar essa personagem. Para mim, foi o mais atraente em Truth Or Dare.”

Fonte: Washington Square News

Lucy concedeu uma entrevista ao site Collider, onde falou um pouco sobre seu novo filme, Truth Or Dare e sua série na CW, Life Sentence. Confira traduzido abaixo:

Dirigido por Jeff Wadlow e produzido por Jason Blum, o thriller sobrenatural Truth Or Dare, conta a história de um grupo de amigos – Olivia (Lucy Hale), Lucas (Tyler Posey), Markie (Violet Beane), Brad (Hayden Szeto), Penelipe (Sophia Ali) e Tyson (Nolan Gerard Funk) – que fazem uma viagem de último ano da faculdade para o México antes de tomarem rumos diferentes. Enquanto estão lá, eles jogam o que acham que é um jogo inofensivo de verdade ou desafio, mas o jogo os segue até em casa e os forçam a continuar jogando, os levando a revelar verdades que podem virar seus mundos de cabeça para baixo e desafios que podem levar a morte, ou eles sofrem as consequências.

Com a divulgação do filme em Los Angeles, o Collider teve a oportunidade de sentar com a atriz Lucy Hale e conversar sobre o porque dela achar que Truth Or Dare foi único, se ela prefere verdade ou desafio quando se trata de jogar, como ela se sentiu quando viu como ficaria quando sua personagem é possuída, e sua reação no final. Ela também falou sobre descobrir o que fazer quando PLL acabou, porque ela quis fazer Life Sentence, e o que ela mais gostou em interpretar essa personagem.

Collider: Esse foi um filme muito divertido!
Lucy Hale: Oh, bom, estou grata! Obrigada! É divertido ver com um grupo de pessoas porque é uma experiência. É uma coisa divertida de se fazer, então estou grata que você gostou.

Você teve a mesma experiência quando leu o script? Parecia dessa maneira?
Hale: Foi bem divertido. Eu li como uma coisa bem bagunçada e distorcida e divertido e engraçado, e eu achei que era inteligente, mas tem uns assuntos pesados. Tocamos no assunto suicídio e sair do armário para seus pais. Cada um desses personagens tem um segredo sombrio que os come por dentro. Eu achei que foi interessante que o jogo é o que os força a serem seus mais verdadeiros seres. Acho que foi um filme único. Eu li vários scripts e vários deles não são ótimos, mas achei que esse era legal. Eu sabia que era um risco, mas está valendo a pena, então é ótimo.

Quando se trata do jogo verdade ou desafio, você é alguem que prefere a verdade ou o desafio?
Hale: Sempre a verdade. Não é que eu não seja espontânea. Eu gosto de fazer coisas divertidas. Mas se você disser desafio, você está pedindo por isso.

Eu amo o quão real as amizades parecem porque esse grupo claramente se preocupa um com o outro, mas também tem um pouco de brigas, o que deixa mais realista. Quando você está interpretando uma parte desse grupo de amigos, é um pouco tenso até que vocês tenham a chance de se conhecer?
Hale: Esse sempre é o desafio. Você tem que fingir a química. Nenhum de nós realmente se conhecia antes disso. Foi instantâneo que nos entendemos rápido. Tem personagens que deixar a amizade interessante, como o personagem Tyson, que é um babaca e tem uma relação de amor e ódio com a minha personagem. Até entre Olivia e Markie, elas são como irmãs e elas brigam. Eu acho que muito disso é da escrita. A escrita fez o trabalho pela gente, mas nos entendemos. Eu não senti que tivemos que forçar alguma coisa, na verdade. Foi como se fossemos amigos por um bom tempo, o que deixou nosso trabalho mais fácil.

Qual foi o item do set que você achou mais divertido ou excitante, e teve algo que foi mais desafiador para fazer?
Hale: Definitivamente a parte mais desafiadora foi a cena da cobertura. Não era na cobertura, eu só estava correndo na volta e estávamos jogando móveis. Eu estava tão dolorida de todos os móveis. Eu juro, fizemos isso umas 150 vezes. Eu estava tão dolorida. Então, tivemos os drones. Foi uma sequência de quatro dias. Teve esse carro que eles não me deixaram fazer. Eu queria fazer a cena, mas eles não me deixaram. A mais difícil de assistir para mim foi a da quebra do pescoço. Eu nem sei como eles fizeram. Não sei como fizeram ficar tão real. Mas, a sequência da cobertura foi um desafio para todos.

O que você pensou quando se viu possuída?
Hale: Você não vai acreditar em todas as mensagens de texto que recebi dos meus amigos, com aquela cena da minha cara.

Não é tão assustados, mas o suficiente para ser sinistro.
Hale: É por isso que funciona. Jeff, nosso diretor, teve essa ideia de mudar o rosto de todo mundo. Eu já pareço com um desenho animado, na verdade. Eu sinto que tenho olhos anormalmente grandes. Algumas pessoas se perguntaram, “Porque Lucy está tão estranha nesse filme?”, sem perceber que é um rosto distorcido. É por isso que achei tão inteligente. Se você fosse longe demais ia ficar clichê e não ia funcionar, mas é uma versão distorcida de quem eles são. São os olhos da morte – os olhos do demônio – e isso me pegou. Eles fizeram um bom trabalho com isso.

Acho que essa imagem vai me perseguir mais do que qualquer uma das cenas de morte.
Hale: Oh, que bom!

[SPOILER, SE NÃO GOSTA NÃO LEIA] Como você se sentiu sobre a maneira que o filme termina e o fato que Olivia toma uma decisão que muda tudo?
Hale: E vai contra tudo o que ela acredita. É uma ótima virada para a primeira pergunta que ela recebe no jogo. Ela se abre para mais pessoas. Isso vai mostrar o quanto ela ama sua melhor amiga, e isso deixa aberto para um segundo filme, se eles quiserem fazer isso.

E isso também parece um pouco egoísta.
Hale: É mas não é. Me fez pensar, “O que eu faria nessa situação?” Quando ela recebe a pergunta, no jogo inofensivo de verdade o desafio, ela fica meio, “Eu faria a coisa nobre.” Mas quando está valendo, não é isso que acontece.

Você passou muitos anos em PLL, então foi direto fazer outra série de TV, Life Sentence. Teve muita coisa que a levou a tomar essa decisão, ou era uma personagem que você não podia deixar passar?
Hale: PLL estava acabando, e eu não sabia o que fazer depois. Eu estava surtando porque fiquei meio, “Oh, meu Deus, o que você quer dizer com não vamos trabalhar mais? O que vou fazer?!” Eu pensei, “Talvez eu tire umas férias.” Eu tinha uma lista de coisas que eu podia fazer. Mas então, eu fui apresentada a essa ideia que eu pensei que era muito inteligente e nada que eu tinha ouvido antes. Então, eu li o script e se grudou em meu coração e eu fiquei meio, “Eu preciso fazer isso. Eu preciso fazer essa personagem. Eu tenho que fazer parte dessa história.” E aconteceu tão imediatamente depois que PLL terminou as filmagens. Eu não tive um momento para sentar e digerir o fim da série, o começo de algo novo, porque tudo aconteceu tão rápido. Foi legal fazer algo totalmente diferente do que eu estava fazendo pelos últimos anos.

Foi mais fácil ou você sentiu que foi uma grande mudança?
Hale: Foi legal continuar trabalhando porque atuar é um músculo e às vezes você perde um pouco. Foi um ótimo desafio mostrar um lado diferente de mim. Foi muito animador trazer essa história para o mundo e uma nova personagem que eles me deram a liberdade criativa para criar. Eu nunca pude fazer isso antes.

O que você mais gostou sobre interpretar essa personagen?
Hale: O que eu mais gosto nela é que ela recebeu as piores notícias possíveis, e então recebe as melhores notícias possíveis. Ela faz tudo com um ótimo senso de humor e ela é alguém que eu me esforço para ser mais parecida. Todos entendemos o sentimento de estar perdidos e não saber quem somos, e eu respeito que ela está assim. Ela é um fracasso atrasado. Ela está descobrindo as coisas um pouco depois na vida. Ela é como um cachorrinho perdido, mas está descobrindo. Ela é divertida de interpretar.

Fonte: Collider

Lucy concedeu uma entrevista ao site Shape onde falou sobre exercícios e dicas de beleza. Confira traduzido:
Nós falamos com a atriz sobre sua rotina de exercícios, dicas de beleza e muito mais.

Lucy Hale não esteve menos ocupada desde o final de Pretty Little Liars. Ela já estrelou a nova série da CW, Life Sentence e seu próximo filme de terror Truth or Dare.

“Meu plano era tirar umas pequenas férias mas eu assinei Life Sentence antes mesmo de terminar de filmar PLL, então eu não tive tempo de processar o fim de PLL” ela diz. “Eu acho que agora terei um tempinho pra descansar e ser normal por um tempo, o que vai ser ótimo”. Nós encontramos com a Lucy para discutir como ela está passando o seu raro tempo.

Itens essenciais para a bolsa de ginástica: “Tenho o meu pequeno kit para o meu carro que eu mantenho apenas para a academia. Obviamente, o objetivo é tomar banho depois de malhar, mas às vezes eu não tenho tempo, então é onde o desodorante é útil. Eu gosto da versão de spray do Degree’s Ultraclear Black & White (Lucy fez parceria com a marca de desodorantes). É ótimo porque foi feito para não manchar suas roupas para que você possa usar algo mais de uma vez. Eu também tenho lenços de maquiagem e perfume “. 

Seu calendário fitness: “Eu estou nessa coisa chamado Training Mate, que é uma aula em Los Angeles. É um circuito de treinamento, basicamente tudo o que você faz com um treinador pessoal, exceto que você tem que fazer em uma aula com outras 50 pessoas. Mas o que é tão legal sobre isso, é que é uma empresa Australiana, então todos os professores de lá são esses australianos muito gatos. Então, é claro que vou aparecer! Mas entrei no SoulCycle por um tempo. Hot Pilates é ótimo a qualquer hora. E eu tenho um treinador pessoal com quem eu trabalho. Preciso manter tudo novo e fresco, se for sempre o mesmo, acabarei não indo. Preciso constantemente tentar coisas novas e ir me desafiando”.

Sua obsessão de cuidados com a pele: “Eu amo maquiagem, mas eu sou obcecada com o cuidado da pele. Eu sempre digo que eu adoraria ser esteticista se eu não fosse atriz. Eu amo tudo sobre isso. Agora, o produto para a pele que eu não posso viver sem, é a água micelar. É fácil de levar na bolsa e é útil nas noites em que você está cansada demais para fazer sua rotina de cuidados.”

O truque de cabelo que ela quer dominar: “As garotas que cuidam do meu cabelo estão sempre tentando me ensinar a deixar o cabelo mais ondulado e com volume. Obviamente, quando pensamos em ondas , pensamos modelador de cachos, mas elas estão tentando me ensinar a fazer com a chapinha. Tem algo a ver com o ângulo. Ainda não consegui aprender.

 

Fonte: Shape