Lucy concedeu uma entrevista para o Entertainment Weekly onde contou porque escolheu Life Sentence como seu próximo passo após Pretty Little Liars. Confira traduzido:

Depois de sete temporadas de ameaças por mensagem de texto e capuzes pretos, Lucy Hale estava pronta para algo novo: uma folga. “Meu plano era tirar uma folga e ser humana por um tempinho,” Hale conta ao EW. Mas quando ela começou a olhar projetos futuros, teve um que ficou na sua mente: A história de Stella, uma menina de 23 anos que viveu muito tempo como se estivesse morrendo – porque ela estava – até que ela descobre que seu câncer está curado. “Quando você está em uma série por oito anos, você vira um tipo de atriz, então muitas das coisas que vinham para mim eram parecidos com PLL. Eu não queria fazer outra série assim,” diz Hale. “Eu li Life Sentence, e foi muito fácil decidir.”

Na verdade, Hale ainda estava em Rosewood, usando os sapatos estilosos da Aria quando disse sim para Life Sentence. “Eu amei toda a ideia de pegar essa história que já ouvimos de alguém vivendo como se estivesse morrendo e colocar isso de cabeça para baixo e dar a essa menina uma segunda chance na vida,” Hale diz. “Para mim, foi muito interessante que uma menina de 23 anos teve que renascer para descobrir quem ela é.”

As notícias da saúde da Stella serão um choque para sua família, que são forçados a encarar as mentiras que eles contaram para “proteger” Stella durante os anos. “É a melhor notícia que eles poderiam esperar, mas acontece que a família toda está de cabeça para baico,” Hale diz. “Eles tem que lidar com os assuntos que veem repreendendo.” Mas a maneira que eles fazem isso tem um lado de comédia – uma mudança para Hale. (Tradução: Essa não envolve tentativa de assassinato ou uma máscara.) “Eu não fiz muita comédia, e eu realmente gostei do ritmo da série,” ela diz. “Houveram tantos aspectos que chamaram minha atenção. É uma série para se sentir bem.”

E não cometa erros: Hale não escolheu Life Sentence por ser fácil. Ela sabia que todos os olhos seriam nela em seu primeiro projeto pós-PLL. Quando a perguntamos sobre a pressão, ela respondeu: “Oh meu Deus, não tenho ideia. É aterrorizante e ainda sim excitante. PLL foi uma coisa gigante em minha vida, e eu sempre vou carregar onde quer que eu vá, mas ao mesmo tempo, esse capítulo está encerrado, e é excitante abrir um novo livro e criar o mundo que eu quiser.”

Fonte: Entertainment Weekly